Com certeza você já viu na casa de alguém, ou em alguma loja, uma colcha de patchwork que te encantou, não é? Realmente é difícil resistir a esse elemento, nossa vontade é de comprar uma colcha desse tipo na mesma hora!

No post de hoje vamos te contar um pouco da história dessa técnica de unir retalhos, que é usada para elaborar não apenas roupa de cama, mas também outros acessórios.

De quebra, você vai receber dicas para saber harmonizar uma bela colcha de patchwork com a decoração do seu quarto. Acompanhe!

O patchwork na História

Alguns defendem que essa técnica nasceu junto com a costura, nos tempos mais importantes da civilização egípcia.  

Isso porque, nas representações gráficas que retratam essa época, é possível ver a junção de tecidos nas roupas usadas pelos faraós e outros membros da nobreza.

Outro momento importante para o patchwork foi durante a 1ª e a 2ª Guerra Mundial, quando o acesso a qualquer produto ficou mais difícil, por conta da crise econômica, e as mulheres passaram a usar retalhos, aproveitando roupas antigas para fabricar novas roupas, especialmente lençóis e colchas.

Porém, foi com o movimento hippie, que aconteceu com força na América do Norte, nos anos 1970, que essa técnica ficou popular e foi batizada (patch = retalho; work = trabalho).

Os hippies, com sua filosofia de vida sustentável, defendiam o reaproveitamento de materiais e a preservação do meio ambiente, e com isso começaram a fazer roupa de cama e de vestir usando retalhos.

No Brasil, o patchwork chegou com os imigrantes europeus, que estavam habituados a unir retalhos para economizar. É por isso que nossas avós e bisavós, que conviveram com essa geração imigrante, geralmente conhecem esse tipo de costura.

A valorização da técnica

Mais recentemente, pela influência que temos da cultura dos Estados Unidos, o patchwork voltou a ser valorizado por aqui, com muitas lojas vendendo desde roupas até lençóis, mantas, colchas, carteiras, porta-livros, poltronas e sofás estampados com retalhos.

Sem falar dos cursos para aprender a técnica, que são muito procurados por quem gosta de artesanato.

O patchwork passou a ser ainda mais apreciado quando incorporou a técnica francesa boutis, que é um bordado em relevo para dar acabamento, com o qual podem ser desenhados símbolos e figuras. Esse trabalho pode ser feito à mão ou na máquina de costura.

O patchwork na sua casa

Finalizada a parte teórica, vamos para a prática: como usar uma bela colcha de patchwork na sua decoração!

O principal ponto que você deve se lembrar é: uma colcha de patchwork tem muita informação, portanto, com certeza ela vai ser o elemento mais chamativo.

Atenção às estampas da colcha de patchwork

Geralmente, o patchwork une tecidos bem coloridos e estampados, pode haver também algumas partes de uma cor só e lisas, mas o que realmente deixa a colcha bonita é a combinação de diversos padrões.

Isso não significa que quanto mais colorido estiver melhor, ou que todas as estampas ficam bem juntas. A colcha que você escolher tem que ser do seu gosto, mas também é necessário certo senso estético para avaliar se os tons de cores ficam bem juntos ou se as estampas não são muito agressivas ao olhar.

Harmonia entre a colcha e a decoração

Lembre-se da decoração do seu quarto, ou outro ambiente onde for usá-la, para ter certeza de que os elementos da colcha vão harmonizar com o estilo do cômodo.

Quanto mais neutra for a decoração, com cores básicas como branco, bege ou cinza, ou mesmo se tiver uma cor mais forte (porém lisa e sem detalhes), maior a chance de dar certo o uso da colcha de retalhos, pois assim não vai haver muita informação visual no ambiente.

Agora é só adquirir sua colcha de patchwork para dormir em uma cama que, além de quentinha, será muito charmosa! Gostou dessa dica de decoração e quer receber outras? Então assine nossa newsletter!