O patchwork, ou para os mais íntimos, a famosa “colcha de retalhos”, pode ser um elemento-chave para quem busca um ambiente colorido, charmoso e aconchegante.

Mas afinal, como é feito este trabalho, quais suas características e como escolher o cobre-leito patchwork perfeito?

Aqui, você vai saber tudo sobre essa peça superversátil e cheia de história. Vem com a gente!

O que é o patchwork?

Em linhas gerais, o patchwork é um trabalho feito com retalhos. Cobre-leitos, capas de almofada, mantas e tapetes confeccionados a partir dessa técnica contam com a união de pedaços de tecidos variados, formando padronagens e desenhos.

Não é à toa que as peças remetem às casas de nossas avós. Esse trabalho já é tão antigo quanto as primeiras civilizações. Registros mostram que o homem já fazia acolchoados desde que aprendeu a tecer! Mas, no Brasil, o patchwork chegou mesmo há cerca de 40 anos, recheando as casas com cores e texturas.

De lá para cá, seu design e estética evoluiu bastante, trazendo diferentes linhas criativas, desenhos e originalidade para essa peça tão tradicional.

Enquanto antigamente as colchas e cobre-leitos eram feitos artesanalmente, a partir da costura com uma técnica conhecida com acolchoamento, hoje já é possível contar com um processo industrial, muitas vezes usando a prensa no lugar da costura.

Agora que a gente já sabe o que é o patchwork, vamos passar para o segundo ponto importante: descobrir se o que você está procurando é um cobre-leito ou uma colcha.

Qual a diferença entre cobre-leito e colcha?

Nem todo mundo sabe que existem diferenças básicas e substanciais entre essas duas peças. Porém, conhecê-las é a maneira mais fácil de acertar na escolha. Afinal, ambas são fundamentais para deixar a decoração do seu ambiente mais aconchegante e original.

Colcha

A principal característica das colchas é a de cobrir toda a cama, desde o local reservado aos travesseiros até o chão. Além disso, elas não possuem enchimento, como os edredons e, por isso, não são boas para serem uadas como cobertores. A função principal é a decoração e proteção da cama.

Se o seu objetivo é contar com uma peça para trazer mais vida e personalidade ao quarto, a colcha pode ser a escolha certa. Opte por estampas que harmonizem com as cores trabalhadas no quarto. Os tons sóbrios ou mais claros tendem a deixar o quarto mais leve e aconchegante.

Cobre-leito

Agora, você deve estar pensando que tudo o que for acolchoado é cobre-leito, certo? Errado! É preciso entender, por exemplo, que o edredom também é uma peça com acolchoamento.

Mais fino, o cobre-leito é ideal para os locais mais quentes ou para as estações em que o frio não se faz presente. Por isso, seu uso no Brasil tem se intensificado tanto!

No que diz respeito à decoração, o cobre-leito tende a deixar o ambiente mais aconchegante que a colcha, por seu aspecto mais fofinho e menos pesado que o edredom.

Como escolher o cobre-leito patchwork ideal?

Na hora de escolher seu cobre-leito patchwork, é preciso ficar atento à duas questões básicas: qualidade do material e design.

Como ele também pode ser usado como cobertor, é preciso que o material seja de qualidade. Dê preferência àqueles feitos de manta 100% algodão ou mistas, com algodão e poliéster. São peças mais duráveis e que aquecem mais do que as 100% sintéticas.

Além disso, é indispensável pensar na estética: observe quais elementos já estão sendo usados na decoração, como estampas em abajur, tapetes, tons nas paredes e móveis. O cobre-leito patchwork deve dialogar com todos esses elementos, mesmo que ele seja o ponto de atenção da sua decoração.

Uma dica interessante é considerar a cabeceira da cama para definir a tonalidade e a padronagens do cobre-leito. Assim, fica mais fácil acertar na escolha, evitando a profusão de elementos (bem característica do patchwork), que pode deixar a decoração cansativa.

Gostou das nossas dicas de como escolher o cobre-leito patchwork ideal para a decoração do seu ambiente? Então, não deixe de assinar nossa newsletter para ficar por dentro de outras dicas de design e decoração!