É comum encontrar texturas para paredes em fachadas e em ambientes abertos, certo? No entanto, essa técnica pode se tornar um incrível elemento de decoração também em espaços internos.

Se usada corretamente, a textura traz um ar de modernidade e sofisticação para o lar. Além disso, você pode utilizá-la para esconder pequenas imperfeições, como rachaduras ou manchas, obtendo resultados incríveis — o que não é possível com a pintura ou aplicação de papel de parede.

Tem interesse em saber mais sobre esse método de pintura para deixar seu quarto, sala ou escritório com mais beleza e estilo? É só continuar a leitura deste post. A seguir, a gente fala mais sobre texturas e explica quais são as técnicas ideais para cada cômodo.

Assim, você pode escolher o que mais combina com a sua casa e criar efeitos incríveis para renovar qualquer cômodo. Vamos lá?

Entenda como usar textura para paredes em casa

Existem várias maneiras de utilizar as texturas em ambientes internos, sabia? As paredes são elementos de grande influência. Por isso, qualquer detalhe nelas pode mudar um ambiente por completo.

No entanto, é preciso ter cuidado para não exagerar e tornar o espaço visualmente pesado e desagradável. A ideia é utilizar a técnica para deixar a sua casa ainda mais bonita, mas sem esquecer do equilíbrio.

Para não deixar isso acontecer, evite utilizar texturas diferentes em um mesmo ambiente, por exemplo. Do contrário, a pintura pode carregar demais a decoração. O ideal é harmonizar as paredes texturizadas com o estilo do cômodo, para evitar que ele fique poluído.

O mais legal é que você pode investir na técnica sem ter que depender de um grande orçamento. Além disso, ela é de fácil execução: com poucos passos, você pode renovar a decoração da sua casa. Basta ter os materiais e ferramentas certas à disposição.

Além disso, o mercado oferece muitas opções de cores e tintas especiais que permitem a inovação e a criação de diversas texturas. O método também garante uma excelente cobertura, longa durabilidade e rapidez na aplicação

E o melhor: o efeito pode complementar diferentes tipos de decoração, do rústico ao clássico e do contemporâneo ao tradicional.

Faça a textura apenas em 1 ou 2 paredes

Como falamos acima, texturizar todo o cômodo pode deixar um aspecto visualmente cansativo. Por isso, aposte em paredes com texturas harmonizadas e outras apenas com coloração escolhida.

Nos quartos, na cozinha e na sala de jantar, o mais indicado é escolher apenas uma parede — normalmente, uma menor e que não seja a principal. Esse detalhe, mesmo que mais discreto, vai proporcionar charme e elegância ao espaço.

No banheiro e na sala de estar, é válido aplicar em duas paredes, uma ao lado da outra. Dessa forma, a técnica de pintura destaca o ambiente.

É possível utilizar essa aplicação até mesmo em corredores. Você pode texturizar umas das paredes e o teto do ambiente, para garantir um ar mais moderno.

Escolha corretamente o tipo de textura

O intuito é buscar por texturas mais refinadas. Por isso, evite o chapisco e o grafiato. Esses padrões são mais indicados para locais externos, por terem um aspecto mais rústico e um acabamento muito poroso.

Para obter elegância dentro de casa, prefira os efeitos que podem ser criados com um gel decorativo e com o auxílio de alguns materiais, como espátulas, rolos, trinchas, esponjas e vassouras.

Você pode apostar em opções de concreto, linho, cimento queimado e aço escovado. Dessa maneira, é possível transmitir um ar moderno para os quartos, salas e escritórios, por exemplo.

Técnicas como o marmorato, que traz o efeito de mármore às paredes, e a camurça, que resulta em um acabamento aveludado como o tecido, são ótimas opções para quem deseja levar mais requinte e sofisticação aos cômodos.

O efeito ranhurado também é uma excelente escolha. A técnica pode ser aplicada em sentidos diversos e garante um visual cheio de personalidade.

Combine com o restante da decoração

As paredes devem combinar com os objetos e com o restante da decoração de cada ambiente. Isso significa que você não deve simplesmente texturizar. É preciso analisar os itens e pensar na melhor maneira de harmonizá-los. O ideal é utilizar uma paleta de cores que dê destaque ao cômodo, complementando-o.

Além de equilibrar as texturas com as cores escolhidas para as outras paredes, é importante harmonizá-las também com os móveis. Por exemplo, se a decoração for em tons mais clássicos e tradicionais, aposte em cores contrastantes, mas sem sair da lógica decorativa do espaço.

Na sala de jantar, leve ainda mais sofisticação à parede texturizada com o auxílio de um lustre. Procure evidenciar e dar destaque à sala com uma cor mais intensa e uma textura mais elaborada, contrastando com uma decoração clean.

Já no quarto, se houver uma cor que marque presença, opte por um tom neutro. No escritório, continue no mesmo estilo e prefira algo mais discreto, com cores claras.

Você também pode dar destaque à parede com pontos de iluminação focados, buscando ressaltar ainda mais os detalhes. É possível complementá-la, ainda, com objetos de decoração mais delicados e discretos, para não pesar o ambiente.

O importante é manter o equilíbrio e não carregar o décor. Se os móveis são o destaque da sala, por exemplo, as cores das pinturas e texturas devem harmonizar com eles. O inverso também vale: um ambiente com móveis mais neutros permite uma textura mais ousada.

Saiba quando evitar a textura para parede

Caso o cômodo já possua muitos detalhes, objetos e cores, não é indicado texturizar as paredes. Isso porque a função dessa técnica é exatamente levar destaque ao espaço e, ao usá-la, pode haver um conflito no final da decoração. Lembre-se de que você quer sofisticação no ambiente — e o exagero não é o melhor aliado para isso.

Também evite utilizar a técnica em paredes com infiltração ou umidade. Nesses casos, o ideal é impermeabilizar o cômodo antes de fazer a texturização.

Pronto, agora que você já sabe como usar textura para paredes, escolha o estilo que você mais gosta e comece a transformação, deixando a sua casa colorida e elegante. A gente espera que nossas dicas tenham inspirado você a colocar a mão na massa.

Só não se esqueça que o equilíbrio entre cores, tamanhos e objetos decorativos é fundamental. Ah, uma outra vantagem da técnica é que, caso você enjoe da coloração da textura, é só mudar! Inove-a pintando outra cor por cima e tenha um novo cômodo já decorado.

Se você gostou das dicas, continue acompanhando nosso blog para ter não perder as últimas novidades sobre decoração. E compartilhe este texto nas suas redes sociais para que seus amigos também saibam que é possível renovar o visual da casa de forma simples e fácil!